Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

MACHADO, JA

A minha escrita, a minha fotografia, o meu mundo

MACHADO, JA

A minha escrita, a minha fotografia, o meu mundo

Tudo como dantes

João-Afonso Machado, 19.09.14

CLÃ.jpg

Uma minoria significativa de portugueses acompanhou encarniçadamente a campanha referendária na Escócia. O outra parte, a da esmagadora maioria, seguiu o seu desenvolvimento apenas interessadamente. O que é o mais recomendável.

Mas não assim à esquerda, porque a Esquerda, onde lhe cheire a estilhaços, está lá a atirar pedras; e, à direita, em certas alucinadas franjas ultra-direitistas que rejeitam a Família Real britânica, dizem-na herege, de origem semita - circuncidada, sob juramento, foi escrito! - e, como tal, uma Escócia soberana é o que há de (etnicamente?) melhor.

Felizmente os escoceses, decerto por distracção, não atentaram na exaltada solidariedade dos tugas. E, numa histórica lição de civismo - que os ditos tugas não terão aproveitado - trocaram argumentos em campanha e votaram fleumaticamente nas urnas. O "não" ganhou por margem superior às previsões das sondagens.

Nada disto nos diz respeito. Todavia, o filme não acaba aqui. Em 5,3 milhões de escoceses, 500 mil ainda se declaravam indecisos no dia do referendo. O Reino Unido, em boa verdade, tremeu, assustou-se, e Cameron prometeu já alargar a autonomia do Parlamento da Escócia. Mas a Coroa nunca foi posta em causa e, havendo juizo, não tombará.

No restante... como procederia a Escócia sem libra, fora da UE e sem exército? Necessitada de imigrantes por carência de população activa e sofrendo, porventura, um acentuado fluxo de emigração?

O mais provável é ter realmente prevalecido o bom-senso.

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.