Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

MACHADO, JA

A minha escrita, a minha fotografia, o meu mundo

MACHADO, JA

A minha escrita, a minha fotografia, o meu mundo

Não é messianismo, mas quase

João-Afonso Machado, 05.12.13

Na forma usual, começa agora a falar-se em algo em que sempre acreditei: Rui Rio voltará à política activa. Temos, entretanto, de, pacientemente, deixar a tropa da Imprensa e dos partidos prosseguir as suas habituais encenações. São as conferências, os grupos de reflexão, o diz que sim, mas não, ou talvez. Os desmentidos e as confirmações. O repúdio manifestado por a quem a ideia desagrada, o júbilo dos seus apoiantes. E o silêncio expectante até à explosão da boa nova. É sempre assim.

Certo é, o PSD agita-se já. Nem Passos Coelho ficou calado, reiterando a sua recandidatura.

Ora, Rio (cuja filiação partidária nada me interessa) personifica o político que Portugal necessita. Talvez por não ser, justamente, político. Ou melhor: politicamente correcto.

O seu desempenho à frente da Câmara Municipal do Porto demonstra-o. Nada lhe custa dizer tão-só o que pensa. Nem tomar as medidas que achar as mais indicadas, indiferente à sua impopularidade. Acresce saber fazer contas, e não ser do género de descontar para o seu próprio bolso.

Provavelmente, haverá que aguardar pela inequivoca derrota eleitoral de Passos Coelho em 2015 (se lá chegar). Mas a garantia de uma oposição honesta, que então encabeçará, é já um ótimo augúrio. E com um PS sem saber o que fazer ao País quando chegar ao Governo, mais as suas lutas intestinas, talvez não tenhamos de esperar pelo longínquo 2019 para gozarmos, enfim, um 1º Ministro como deve ser.

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.