Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

MACHADO, JA

A minha escrita, a minha fotografia, o meu mundo

MACHADO, JA

A minha escrita, a minha fotografia, o meu mundo

Contra a maré

João-Afonso Machado, 26.08.13

São as tais questões que não podem ser decididas em Lisboa, é lá (cá) na terra! Se Vizela conseguiu, porque não há-de as Taipas ser concelho, também? Um outro a cindir-se do de Guimarães?

As Taipas cresceram em volta de umas termas. É uma vila - está lá, na placa da estrada: Vila das Taipas - mas não é freguesia, porque essa chama-se Caldelas. Ainda assim, percorrem-na ventos independentistas. Sem dúvida, mais uma «velha aspiração».

Talvez tudo fosse conciliável. Havendo boa vontade e algumas concessões de terra por parte dos vimaranenses e dos bracarenses e famalicenses. Somente, teria de ser um concelho dos bons velhos tempos pré-partidocratas. Com capitão-mor, juiz de fora e juiz dos orfãos, uma chusma de clérigos vagueando em seus sítios, muita lavoura, albergarias bem guarnecidas. Sem desemprego.

Muita gente viria de longe assistir. Meirinhos e aguazis manteriam a ordem. Na vila das Taipas os automóveis não seriam consentidos: quando muito o trotar dos cavalos. Além das famosas mulas do almocreve, tantas vezes requisitadas para trazer do rio Ave, que atravessa a vila, uma fartura de cabazes do melhor peixe.

E, garantidamente, seria de olhos postos nas Taipas que o Governo encetaria, enfim, uma reforma administrativa condigna. Muito aconselhado, verdade se diga, pelo mestre-escola local.

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.