Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

MACHADO, JA

A minha escrita, a minha fotografia, o meu mundo

MACHADO, JA

A minha escrita, a minha fotografia, o meu mundo

Premonições autárquicas

João-Afonso Machado, 17.07.12

Manhã a consultar um processo complicado no Tribunal de Gondomar. Muito calor (35º) e o cliente ao lado, compreensivamente ansioso. Realizada a função -  desculpe lá a excentricidade, mas já agora levarei umas fotografias do pouco que resta entre estes pináculos de betão... E peguei na máquina. Restava o edifício da Câmara Municipal, quase nada mais.

E o cliente, muito sério, já apaziguado, apontou - olhe, não perca a oportunidade, ei-lo que chega...

Olhei. Era o Major Valentim Loureiro, entrando por um portão lateral.

O carro, de uma gama apenas medianamente alta. Sem motorista. Nada tem a temer, o "Major Valentão". O Valentim da Liga futebolistíca, do "Apito Dourado", dos electrodomésticos a rodos, das grandes epopeias eleitorais, do seu celebérrimo rob de chambre. "Quantos são?! Quantos são?!" Impávido e sereno, em suma.

Isto está mais para autarcas do que para ministros - conclui. E fui à minha vida. Talvez Valentim Loureiro se deixe ainda tentar pelos trópicos e brilhe em Oeiras. E Isaltino Morais sinta saudades das suas raizes e se chegue a elas, ali por Gondomar. No fundo é tudo uma questão de robs de chambre: de boa flanela ou em seda natural...