Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

MACHADO, JA

A minha escrita, a minha fotografia, o meu mundo

MACHADO, JA

A minha escrita, a minha fotografia, o meu mundo

"Grandezas"

João-Afonso Machado, 03.09.18

MIRANTE.JPG

Foram de súbito palavras de demência ditadas do cimo do púlpito

em formas guturais de Sua Eminência.

 

Bramando construir catedrais

nadas já tantas vezes seculares

e usando de meios tais

 

(a assembleia atónita, nesses momentos

de desgrenhados embelezamentos

e ícones de santidades carecas)

 

que breve Sua Sumidade reclamaria

uma casinha de bonecas

prós óleos quadrados de todos os beneméritos,

devidamente brasonados,

 

enorme e assim tão pequenina,

mas cheia de in fólios, cheia de pretéritos.

 

 

 

O atol de Guimarães

João-Afonso Machado, 01.09.18

IMG_3180.JPG

Foi a minha praia, este ano, tropicalíssima. Cercada de corais graníticos, muito agudos, como no mundo inteiro não há. Ao longe, a cordilheira do Castelo e do Paço Ducal.

Dunas carregadas de verde. Desde a vegetação rasteira até aquelas árvores de onde caem frutos pesados como bombas. E muitas flores - tão grandes que se anunciam pela queda e se oferecem para o colar, um enfiado delas em vésperas de luau.

Nas águas claríssimas, pequenos nativos mergulham. À caça de pérolas, é claro. Sobre fundos azulados, quietos, por onde nadam todos os nemos deste mundo.

IMG_3188.JPG

À margem, conversa-se e brinca-se. Ninguém se queixa de pégadas alheias na sua toalha... Nessas suas incursões subaquáticas a rapaziada emerge com memórias duocentistas. No redor de muitos quilómetros, apenas o vago rumor das ondas revolteando-se entre os corais, tão distantes, tão fora de mão. Como os tubarões-buzina, lá longe, depois do atol. À tardinha, frutos de cores mirabolantes, carnes variadas; e à noite, espetadas de cabidela e a cerveja sempre fresquíssima.

Em pleno Pacífico vimaranense, um mergulho perpétuo nestas águas do Céu. Mais não contarei, não vá para o ano dar à costa o Robinson Crusoé, o Sexta-feira e aquela multidão de selvagens que os queria comer.

 

 

Pág. 2/2