Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

MACHADO, JA

A minha escrita, a minha fotografia, o meu mundo

MACHADO, JA

A minha escrita, a minha fotografia, o meu mundo

Ultra-pesado

João-Afonso Machado, 19.04.12

c

Ignoro pormenores. Apenas ouvi o depoimento de alguns portugueses residentes na Guiné-Bissau. Nenhum pretendia arredar pé. Todos sorriam ante as câmaras da televisão. A ameaça iminente de uma chacina estava muito longe das suas palavras e das suas expressões. E os jornais já vão (outra vez) esquecendo a nossa antiga colónia. Entretanto houve futebol. Mourinho e CR7 tão mal sucedidos como Alpoim Calvão, in illo tempore.

Sem embargo, a Pátria gloriosa preparou missão temível de salvamento. Pelas minhas somas, eventualmente erradas, uma fragata, uma corveta e um "reabastecedor" (gloriosamente baptizado como "Bérrio" - ah!, grande Gama!), mais o helicóptero, o avião P-3 que já esvoaça, as lanchas, quiçá as moto-4 irrompendo nos paúles de Bijagós...

Tudo pressupondo um avassalador ataque anfíbio e a evacuação dos nossos compatriotas. Os quais, quanto sei, insisto, não querem sair de lá, somente porque não se sentem em perigo.

A missão militar custa ao País qualquer coisa como 15 mil euros por dia. Nem se discute a sua validade desde que um português, que seja, esteja ameaçado. Mas existirá alguma ameaça? Eles - os nossos - dizem que não.

E, entretanto, cá pelo burgo (digamos assim), falta com que motorizar a polícia, os bombeiros, os hospitais, as instituições, genéricamente, e quem as serve. Porque não chega para a gasolina e para os mecânicos.

Em suma: cada vez percebo menos. Não de Portugal, mas do Estado agora por extenso denominado "República Portuguesa".