Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

MACHADO, JA

A minha escrita, a minha fotografia, o meu mundo

MACHADO, JA

A minha escrita, a minha fotografia, o meu mundo

Tradições locais

João-Afonso Machado, 22.04.11

Souselas, Coimbra. Antigamente uma aldeia distante cerca de 9 km da cidade. Já em pleno mundo rural, onde nem sempre havia abundância.

Aí por 1860, mais ano, menos ano, a família Nazareth, fixada em Souselas, instituiu o costume de, todas as Sextas-feiras Santas, oferecer às crianças da terra uma sopa de feijão e broa, enfim, um suplemento sempre festejado, face aos parcos recursos de muitos.

Vinha a miudagem, cada um trazendo o seu prato e a sua colher, os portões da casa abriam-se... Assim durante décadas e décadas, todas as Sextas-feiras Santas. Enquanto a quinta não se tornou apenas um local de férias e descanso.

Já mais recentemente, o Grupo Etnográfico da Casa do Povo de Souselas retomou a tradição. A organização da "sopa de feijões" pertence-lhe, actualmente, mas a casa dos Nazareth's continua a abrir os seus portões à catraiada. E vêm todos. Mesmo os pimpolhos de há setenta anos, agarrados agora às suas bengalas, a matar saudades. E continua a fartura de caldo e broa, mais os condimentos das boas recordações e de qualquer chouriço, com um copo de vinho a empurrá-lo para baixo...

 

 

Três da tarde

João-Afonso Machado, 22.04.11

Se a Fé move montanhas também há-de conseguir escorar a Verdade. O sofrimento foi prolongado e imenso, cessando pelas três horas dessa tarde, em que Cristo morria na cruz. Oferecendo-se assim para redimir as nossas faltas.

Por isso Deus mandou ao mundo o Filho do Homem. E é bom tê-lo sempre presente: Jesus foi homem, como nós somos, é homem também, pelos séculos fora o elo de ligação entre a nossa Cultura e o Criador. Portador de uma mensagem nova de paz, amor e esperança que paulatinamente nos encarregamos de recusar ouvir.

Vão lá dois milénios. Entre a História e a Religião, Cristo permanece connosco. Aliás, marcando indelévelmente o Tempo, antes e depois do seu nascimento. Por todo o planeta, entre todos os credos.

E este dia misterioso em que, pelas três da tarde, Jesus sucumbiu finalmente, pregado no madeiro, continua a ser solenemente evocado em cerimónias sempre participadas, nas ruas mais diversas localidades localidades minhotas.