Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

MACHADO, JA

A minha escrita, a minha fotografia, o meu mundo

MACHADO, JA

A minha escrita, a minha fotografia, o meu mundo

Ainda as eleições

João-Afonso Machado, 27.01.11

Só hoje tive acesso, através da Imprensa local, aos resultados eleitorais na freguesia da minha gente, em V. N. de Famalicão. Uma mancha predominantemente rural, cuja população, se não estiver no desemprego, se dedica, sobretudo, ao comércio e aos serviços, na sede do concelho. E uma Junta administrada pelo Partido Socialista.

Ei-los, então, num universo de 1475 inscritos nos cadernos eleitorais: Abstenção - 528; Cavaco Silva - 521; Manuel Alegre - 170; Fernando Nobre - 120; Votos brancos - 40; José Manuel Coelho - 27; Defensor Moura - 25; Francisco Lopes - 24; Votos nulos - 20.

Comentários, eventualmente pertinentes, para além do que é óbvio: neste bocado minhoto, o voto em Coelho traduz um protesto similar ao dos votos em branco ou nulos; a opção Defensor resulta da nossa (relativa) proximidade a Viana do Castelo, de onde o candidato provém.

O mais está à vista. Com o acrescento, apenas, de que, em eleições autárquicas, os partidos abstencionista, albinista ou nihilista quase não têm expressão.

Porque será assim?

 

Breves da República, hoje

João-Afonso Machado, 27.01.11

1. Caiu uma bomba sobre a já massacrada Relação de Lisboa. O famigerado Bibi confessou: afinal, nada foi o que foi. Foi tudo mentira, alucinação. Anos de declarações, anos de mentira. Tudo mentira. Não viu, não sabe, não conhece. O Dr. Sá Fernandes já reconheceu o grande entusiasmo de Carlos Cruz face à novidade. E, da parte da Procuradoria da República, a falta de clareza a que vamos estando habituados...

2. Mais uma - de entre quantas? - Comissão para investigar - e aclarar? - o Caso Camarate. Desta feita, não com intuitos de procedimento criminal, mas apenas visando repor a verdade histórica. Na Assembleia da República vislumbre-se agora, de mérito, uma função perdurante: como a de qualquer academia de ciências e artes.

3. Dois agentes da PSP guardavam, ao fim da tarde, um dos viadutos sobre a VCI. Armados até aos dentes. Depois percebi porquê: vinha aí o autocarro do Benfica, cuja equipa jogou hoje com o Rio Ave, em Vila do Conde. Qual o resultado?