Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

MACHADO, JA

A minha escrita, a minha fotografia, o meu mundo

MACHADO, JA

A minha escrita, a minha fotografia, o meu mundo

Personagens

João-Afonso Machado, 25.10.11

No teatro da vida não somos outra coisa: personagens. Mais ou menos reais. Caminhando através de um percurso sinuoso, desde a tolice até à verdade. É o designio de cada um, consoante saiba ser e seja calcorreado. Desde os personagens históricos até aos caricatos. Ou do bom-nome à troça, através de uma mão-cheia de todos nós, gente banal.

Não se exigem heróis. Também se dispensam os palhaços. Dos personagens do mundo espera-se apenas cumpram a sua missão, valorizando-se a si mesmos, se calhar através de qualquer contributo com que beneficiem quem os cerca.

Esse o ponto onde surge o termo mais apropositado de personalidade… Essa a diferença, afinal…

Ao longo do trajecto, tudo é detectável. Os empreendedores, quer nas ciências, quer nas letras; e os párias, pequenos seres abaixo do vulgar, incapazes de algo mais senão de… não ser.

E de nada fazer. De quem falo? Certamente de alguém incapaz de produzir – quero dizer: de deixar obra – impenitente gastador de energias em maldicência e intriga, roendo-se da sua impotência de se constituir gente. De escrever uma frase, de assentar três tijolos.

Tamaninos, vingativos, ocultos. Mas facilmente detectáveis, totalmente expostos ao ridículo. E, sobretudo, matéria-prima para inesgotáveis paródias postas a público.

Personagens, afinal, da velha – mas sempre actual - literatura queirosiana. Condessas de Gouvarinho sempre à tona da Baía de Cascais. Ainda que travestidas em trajes regionais…

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.